Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Somos todos normais, até termos filhos!

Aquele que já foi o Blogue da Mafalda | Por Ana Fagundes Lourenço

Somos todos normais, até termos filhos!

Aquele que já foi o Blogue da Mafalda | Por Ana Fagundes Lourenço

Ser mãe de menina

30.10.19, Ana Fagundes Lourenço

Ser mãe de menina é travar lutas diárias por causa da roupa. É explicar vezes sem conta que não pode ir para o colégio vestida de princesa, nem para as vaquinhas vestida de Branca de Neve. É dizer adeus ao batom vermelho, porque a miúda se apropriou dele sem dó nem piedade.

Ser mãe de menina é todos os dias olhar para uma versão pequena de si própria e pensar "vais dar um trabalhão!". É  fazer um curso intensivo de diplomacia, porque tudo tem de ser negociado.

Ser mãe de menina é deveras cansativo, mas é o melhor do mundo!

Salles & Salles: Uma forma de amar

18.10.19, Ana Fagundes Lourenço

Hoje quero falar de um canal do Youtube que conheci através da minha irmã: Chama-se Salles & Salles e as protagonistas são a (fantástica) Adriana e a Dona Nair.

A Dona Nair sofre de alzheimer há alguns anos e a filha faz vídeos sobre os mais variados temas para estimular a mente da mãe. E como o faz? Dizendo as coisas mais estapafúrdias para ver como a senhora reage. 

É um canal muito divertido e que nos ensina que existem muitas formas de amar e cuidar. Vejam:

 

 

O Livre e a EMRC

03.10.19, Ana Fagundes Lourenço

Li que o Partido Livre propõe proibir a disciplina de EMRC nas escolas públicas. Como justificação, invoca o princípio da laicidade do Estado.

Eu sou pela liberdade. Acho que cada um é dono de si e, por isso mesmo, deve poder fazer tudo para alcançar a felicidade plena. Desde que isso não interfira na liberdade dos outros que cá andam.

E é por isso que sou contra esta ideia do Livre, que de livre tem pouco (perdoem-me o trocadilho barato). É verdade que o Estado não tem uma religião oficial, daí ser laico, mas não é menos verdade que temos uma profunda ligação à religião católica.

Se me pedissem opinião sobre a integração de outras doutrinas religiosas no programa escolar, estaria de acordo. O caminho passará sempre pela integração e não pela proibição. E proibir uma disciplina que é opcional é só parvo. E interfere directamente na educação dos nossos filhos. E isso eu não aceito.

Tenho mesmo curiosidade em saber o que se seguiria se o Livre chegasse ao Governo. O fim do feriado do Natal e da Páscoa?